• Rafael Assumpção

Pré-natal psicológico: o cuidado com a saúde emocional e psíquica na gestação



Você sabia que assim como o corpo se prepara para a chegada do bebê, é preciso também se preparar emocionalmente para a chegada dele?

Se você ainda não me conhece, eu me chamo Jéssica Castro, sou psicóloga perinatal e da parentalidade, eu ajudo mulheres-mães a lidarem com os desafios da maternidade, sendo parte da sua rede de apoio na gestação, parto e pós-parto. Apoiar mães e famílias é a minha missão, meu anseio e a minha realização.

A convite do Rafael, venho compartilhar com vocês um pouco sobre a importância da assistência psicológica na gestação, em que falaremos um pouco sobre o querido “pré-natal psicológico”, o qual particularmente tenho um grande apreço, e que pode ser que você ainda não o conheça, e se assim for, a partir de agora você já estará mais íntima dele.

Normalmente, assim que a mulher descobre a gravidez, busca por um médico ginecologista/obstetra, no qual ela confia, para realizar o seu pré-natal tradicional, considerando este acompanhamento indispensável, e de fato ele é.

O pré-natal tradicional ginecológico, normalmente realizado por um obstetra, é caracterizado pelo acompanhamento da evolução da gravidez, com foco na saúde física da mãe e do feto, sendo possível a identificação de intercorrências gestacionais e prevenção de maiores complicações, caso haja indícios.

Mas você sabia que, além deste pré-natal tradicional, existe também o pré-natal psicológico (PNP), que visa o cuidado com a saúde emocional e psicológica da mãe e do bebê?





É indiscutível a relevância do pré-natal ginecológico para manter a saúde física da mãe e do bebê em dia, contudo, se atentar aos aspectos emocionais e psicológicos envolvidos no período da gestação, parto e pós-parto é também imprescindível, visto que as mudanças que ocorrem na vida da mulher não correspondem única e exclusivamente ao campo físico, não é só o corpo da mulher que muda, mas muda-se tudo... à rotina, a casa, as preocupações, responsabilidades, prioridades, as relações sociais, etc, e tudo isso impacta diretamente no campo psicológico e emocional da mulher. Pois é, está tudo interligado.


Olhando por esta perspectiva é possível compreender a importância do cuidado com a mulher grávida de modo integral (corpo + mente) e não fragmentado (preocupação só com o físico ou só com o psíquico), sendo necessário um cuidado abrangente, com assistência multidisciplinar.

Voltando a pergunta lá de cima, se você ainda não conhece o pré-natal psicológico (PNP), continua aqui comigo que eu vou te contar um pouquinho sobre ele e o por que ele é tão especial.





O que é o pré-natal psicológico?

O PNP é uma abordagem diferenciada de assistência no pré-natal, sendo complementar ao pré-natal tradicional. Esta modalidade de atendimento é voltada para uma maior humanização do processo da gestação, parto e pós-parto. Sua finalidade é informar, orientar e preparar emocionalmente e psicologicamente o casal grávido para a chegada do novo membro da família, favorecendo uma vivência da maternidade/paternidade mais leve, tranquila e segura.





Qual a importância do pré-natal psicológico?

A chegada de um novo filho afeta a vida da mulher e do casal em vários aspectos, e lidar com todas as mudanças, ansiedades, medos, inseguranças e angústias, não é nada fácil, e a depender da intensidade do conflito, pode vir a desencadear adoecimentos psicológicos no pós-parto.

Diante disso, o PNP, surge como um fator de proteção e prevenção, é como uma “vacina psíquica” contra o adoecimento psíquico no pós-parto. No Brasil, o índice de depressão pós-parto é altíssimo, a cada 4 puérperas 1 tem depressão pós-parto, acometendo tanto mulheres que desejaram/planejaram a gravidez, quanto as que não desejaram/planejaram engravidar.

Diversas pesquisas têm mostrado que, o acompanhamento psicológico na gestação-parto-puerpério, tem gerado resultados valiosos, havendo evidências científicas de que mulheres que participaram de consultas de pré-natal psicológico tem menores índices de depressão pós-parto, confirmando então o seu caráter preventivo.

Além disso, é importante destacar que todo cuidado com a saúde emocional e psicológica da mãe grávida é estendida para o bebê, que não se desenvolve somente fisicamente mas também emocionalmente, por meio da sua conexão com a mãe intra útero.





Como o pré-natal psicológico funciona?

O PNP é conduzido por um psicólogo perinatal capacitado, podendo ser realizado no formato individual ou em grupo, presencial ou on-line. Pode variar de 8 a 10 encontros no total, que ocorrem semanalmente. A modalidade individual tem duração em média de 1h -1h10, e a modalidade em grupo de 1h30 - 2h.

Os encontros são temáticos, sendo abordado temas como: a idealização da maternidade; o parto; o pós-parto; a amamentação; as mudanças nos papéis sociais; rede de apoio, etc. O objetivo é oferecer um espaço de escuta qualificada e diferenciada, para acolher as angústias e medos não só da mãe, mas também do pai, preparando-os emocionalmente para a maternidade e paternidade.

*para mais informações sobre sobre esta abordagem diferenciada e humanizada de atendimento no período da gestação, pode entrar em contato comigo pelas minhas redes sociais (@recantoparental), ou pelo número (12) 99737-7896. Estou à disposição!




Bom, eu acredito que nesta altura do campeonato você já tenha percebido o que eu estou prestes a dizer, mas vale reforçar… para participar do pré-natal psicológico você não precisa, necessariamente, estar passando por dificuldades emocionais e psicológicas, assim como não deve fazer o pré-natal ginecológico somente se tiver uma gravidez de risco. Então o PNP é indicado para TODAS as mulheres grávidas que desejam se preparar emocionalmente para o desempenho da função materna, com extensão à família, em especial o cônjuge.

A maternidade não se resume a um mar de rosas e nem a um tsunami. Acredito que ora a maré é calma e ora a maré brava. E quanto mais a mãe se preparar, mais ela vai conseguir lidar com a imensidão deste mar, apreciando seus momentos de calmaria, e surfando as ondas gigantes. E lembre-se ninguém nasce sabendo surfar, mas é possível aprender. Com a maternidade é assim também.

Jéssica Caroline Barbosa de Castro

CRP 06/157844



REFERÊNCIA:

ARRAIS, Alessandra da Rocha; MOURÃO, Mariana Alves; FRAGALLE, Bárbara. O pré-natal psicológico como programa de prevenção à depressão pós-parto. Saúde Soc., São Paulo, v. 23, n. 1, p. 251 - 264, 2014.